Igreja Pentecostal de Jesus Cristo

Gestantes Espirituais

Do ponto de vista biológico, a capacidade de conceber e gerar filhos é exclusiva das criaturas do sexo feminino. No reino espiritual, contudo, tanto machos como fêmeas, podem dar a luz. Assim o apostolo Paulo, embora sendo varão, diz a Filemon... “Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões ”

 (Fl. 10). Em Gl. 4:19 , Paulo vais mais além, dizendo... “Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vos ” .Fisicamente as dores de parto se prolongam até que a nova criatura tenha reunido condições para viver fora do ventre materno, pois até então subsistia recebendo alimentos e oxigênio do sangue materno através do cordão umbilical.

Espiritualmente, a gestante proporciona ao seu “embrião” o alimento da palavra e o “oxigênio” do espirito, a fim de que no tempo próprio, venha a luz (pois estava em trevas espirituais) e passe a subsistir sozinho. No parto físico, o período de gestação é de normalmente nove meses. No parto espiritual este período e muito variável, havendo casos em que a geração pode durar vários anos. Há indivíduos cujo progresso na vida espiritual e tão rápido que causa realmente espanto. Num breve período de tempo conhecem a Jesus, deixam os vícios, as, mas amizades, a idolatria, os maus hábitos e a corrupção, passando a viver uma vida vitoriosa na presença de Deus. Há outras, porém, que passam a vida toda no meio da igreja recebendo orientação sadia desde a infância, porém não conseguindo desprender-se do amparo dos “gestantes”, estando sempre dependendo do auxílio dos os outros.  Jesus disse que “a mulher, quando está para dar a luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado á luz a criança, já não se lembra da aflição pelo prazer de haver nascido um homem no mundo”.(Jo.16:21). Analogamente as dores de parto espiritual, originadas muitas vezes por incompreensão e ingratidão, não são comparáveis ao gozo, pelo fato de ter sido gerado um filho para o reino de Deus. Paulo faz referência a este assunto em 1ªTm. 2:15, afirmando que a mulher que permanece com modéstia na fé, na caridade e na santificação esta reunindo condições para salvar-se, e dar a luz filhos (espirituais).

Jesus comissionou sua igreja dizendo: “não escolheste vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei

 para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça...” (Jo. 15:16). Infelizmente porém, muitos que deveriam estar gerando ainda estão sendo gerados. “Toda a vara em mim que não dá frutos será lançada fora”, disse Jesus (Jo 15:2-6) ao evidenciar a importância da fecundidade de seus seguidores. A igreja atual tem muitos pedagogos, mas poucos pais, muita gente querendo ensinar e poucos querendo gerar, porque sabem que isto significa jejuar, interceder, tolerar, chorar... (Rm. 12:13-15). Paulo fez questão de afirmar que ele não era pedagogo, mas, pai e mãe espiritual daqueles que evangelizava. (1ªCo 4:15).

Enfim, como no reino material só os adultos tem a capacidade de gerar filhos, também ocorre no reino espiritual. Se o prezado irmão já e adulto no tempo, conforme (Hb. 5:12), seja-o também no crescimento da graça e conhecimento de Deus em Jesus (2ªPe. 3:18), gerando filhos saudáveis para o seu reino.

Filhos na fé, são discípulos do senhor. Acredito que a principal missão da Igreja nestes últimos dias é gerar, e se importar com os  filhos na fé, que são discípulos do Senhor. O ato de Discipular, deve estar  fundamentado em relacionamentos bem profundos, com base na palavra de Deus, entre o discipulador e o discípulo. Sabendo porém que o que está sendo gerado é um discípulo para Deus! Não temos o direito de usurpar aquilo que pertence ao Senhor. Nossa tarefa é preparar, treinar, ensinar com afinco, para que o discípulo sirva no reino de Deus e para Deus.


© 2017 - Igreja Pentecostal de Jesus Cristo